Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bom Proveito

Bom Proveito

Jornal Observador: já não observas?

11
Abr19

JM.jpg

 

Pois parece que não. Acabaste no "jornalismo" Maria vai com as outras, neste caso o "El País" e o "New York Times" (serão as novas bíblias?) , como reconhece o genial artigo do Pe Pedro Quintela, ele sim um jornalista. Um homem humano, de obra feita,  da qual a Associção dÁcor é apenas a ponta de um gigantesco iceberg de vidas que se renovam cada dia. Vidas retiradas do abandono, do desespero. 

Hoje quero dizer umas coisas sobre o Jornalismo que há. O  assunto prende-se aos abusos sexuais de pessoas, de menores, por parte do clero. Mas o que digo pode ser observado em relação a tudo.

A Observações tantas, afirma  o Pe Pedro Quintela: «a “irrepreensível” ética do Observador, infectada de duplicidade, manifesta-se no facto de estar obcecado com os pecados sexuais do clero mas ser mais generoso com as celebridades da vida pública portuguesa que viveram, ou vivem, sordidezes idênticas às agora “denunciadas”. Pois eis que não cessa de investigar os padres e de desculpar toda essa outra gente. /De facto, para um jornal se apresentar como idóneo não basta citar idêntica prática do “New York Times” ou do “El Pais” como o fez um seu director. Assim apenas se prova que pertencem à mesma internacional de esbirros, como sempre lançando uma nuvem de fumo sobre a sua pureza ideológica. Em certa altura chamou-se-lhe Inquisição. Mais recentemente, também, teve o nome das sucessivas polícias de costumes contra os impuros com outras ideias e vícios. Sempre as “ditaduras” perseguiram com razões puras e implacáveis os vícios. Veja-se a lista dos condenados por "vícios” nos campos de concentração originários em todas as latitudes dos impérios do século XX."

"Na verdade, como podem tais jornais dizer-se interessados em proteger as crianças? E  como sinal ínfimo desta farsa e hipocrisia, atente-se ao facto de nenhum orgão de comunicação se interessar com o que se passa por detrás dos ecrãs no que se refere às novelas, à publicidade e ao cinema que as “usa”, às crianças. Evidentemente que para as proteger serão também necessários jornalistas. 

Mas outros."

Um dos filósofos que trago sempre comigo afirma que pouca observação e muito pensamento leva ao erro; muita obesrvação e pensamento que baste, leva à verdade.

Leiam o artigo do homem discreto, e façam BOM PROVEITO! Os intelectuais são assim como eles, fazem a cultura, e o jornalismo, que precisamos. E assim salvam vidas.  Estão vivos, presentes!

 

 

Ensinai-nos a contar os nossos dias, * 
   para chegarmos à sabedoria do coração. 
Voltai, Senhor! Até quando?... * 
   Tende piedade dos vossos servos.
salmo 89 (90)