Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bom Proveito

Bom Proveito

O meu momento Dona Dolores

13
Fev19

banana da madeira.jpg

 

Os médicos aconselharam-me a comer muita banana, por causa do potássio, como sabem. É engraçado que então passei a comer todas as manhãs uma banana. Estou agora especialista, e realmente as melhores são as da Madeira.

Aproveito essa pausa para me refocar no essencial. À pala do potássio, ganho em força, em consciência e recomeço o dia, sem perder tempo com coisas que não interessam para nada. Estratego. Quero a baliza.

Isto passa-se já há algumas horas, porque eu acordo com a aurora e aí sim, rezo com a Igreja toda, com o Papa Francisco, e com todos os que ao acordar, agradecem a vida. Junto-me também sempre àqueles que sofrem, ou por pobreza, ou por doença, ou solidão. Penso nos que morreram, penso no Céu e em especial naqueles meus entes mais queridos que já partiram. E olho para a História, e comparo-a com o dia que está a começar. Isto em segundos. Como num filme. Agarro-me à Liturgia das Horas e encho o peito de ar, ainda meio ensonada.

Sei que sou impotente e não posso mudar o mundo. Mas sei que quem sustem tudo isto não dorme, e lá sabe o que faz.  E sei que sem mim tudo seria diferente, não vale mentir-me...

O meu momento Dona Dolores faz parte desta sabedoria que aprendi ao contemplar a natureza e a vida. E lembro-me que a Madeira, tal como o meu coração, é um jardim. E orgulho-me dos filhos. Os dos outros e os meus. E vou à luta porque apesar dos dados estarem sempre antes de mim, sou eu que quero as rédeas da minha liberdade. E nada há que me separe de cada pedaço de vida em que tropeço. Arregaço as mangas, e levanto o dia.

Vai uma banana? Um momento Dona Dolores?

BOM PROVEITO!

Exortai-vos cada dia uns aos outros,
até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

 

 

 

5 comentários

Comentar post